Bastidores da Política

Missão possível

A prefeita Erica Soler corre agora para implantar PDV e contratar OS (Foto: Arquivo Atos)

A prefeita Erica Soler está demonstrando à população de Potim que é possível resolver problemas crônicos do município com vontade política e ‘jogo de cintura’. Ventos dos corredores do poder público dão conta que ela negocia com os vereadores a aprovação do projeto que permite a Prefeitura financiar R$ 6,5 milhões através do Finisa – leia-se Caixa Econômica, para levar a tão sonhada e prometida pavimentação na cidade.

Outra missão possível que a chefe do Executivo está promovendo é a contratação de uma empresa para resolver o problema da qualidade da água que chega nas casas dos moradores.

Pisando em ovos
Em solo minado na Prefeitura de Aparecida, a prefeita em exercício Dina Moreira pisa em ovos quando o assunto é mudanças na administração pública, uma vez que o titular Ernaldo Marcondes já procura reverter a liminar que o afastou do cargo na semana passada. Com a intenção de evitar ‘problemas futuros’, Dina suspendeu num primeiro momento todos os pagamentos até que sua equipe jurídica passe a lupa nos contratos em vigência. Pelo que ouviu nos corredores do Paço, trata-se de uma medida para que ela não passe pelo martírio que Ernaldo está vivendo agora, como herança de quando foi vice de Siqueira.

“Jogada de mestre”
Buscando oferecer mais segurança aos moradores e turistas de Ubatuba, o prefeito Délcio Sato (PSD) contratou uma empresa especializada para realizar reparos e modernizações em quinhentos pontos de iluminação pública do município. A contratação da Uba Postes, válida por um mês, foi a alternativa encontrada por Sato para evitar que a cidade ficasse momentaneamente sem manutenção em seus pontos de luz, já que o Executivo aguarda a conclusão dos trâmites licitatórios para definir a empresa que assumirá o serviço pelos próximos anos. A melhoria foi comemorada pela população, já que a substituição das lâmpadas garantirá uma melhor iluminação das principais vias da cidade, inibindo a ação de criminosos. A iniciativa também agradou os comerciantes, que esperam registrar um maior faturamento devido ao possível aumento do fluxo de turistas durante o período noturno.

“Saindo da rotina”
Após serem criticados pela população por supostamente fazerem “corpo mole” durante as sessões, os vereadores de Ubatuba decidiram se mexer na última semana. Eles cobraram do Governo do Estado reforços no efetivo de funcionários do IML (Instituto Médico Legal) local, que vem sendo alvo de queixas de moradores devido à demora na liberação dos seus entes queridos. Após discutirem sobre a situação do IML, que conta com um número reduzido de médicos legistas e demais profissionais, os parlamentares decidiram que enviarão ao Estado um documento exigindo providências. O movimento é liderado pelos vereadores Claudnei Xavier (PSDB) e Ricardo Côrtes (PSC). A mobilização dos parlamentares rendeu elogios da população, que até então demonstrava descontentamento com a falta de projetos e discussões relevantes por parte da Câmara.

“Reclamação fantasma”
Parece que nem a contratação de uma gestora especializada e o investimento de R$ 2 milhões na reforma do Pronto Socorro de Pinda foram capazes de acalmar a exigente “Turminha do Contra”. Uma pequena parte da imprensa local, ‘alimentada’ por sindicatos e viúvas políticas, vem publicando supostos relatos de moradores que afirmam terem enfrentado dificuldades nos atendidos no Pronto Socorro. O que vem causando estranheza nos leitores é que as identidades dos reclamantes nunca são reveladas, e a Prefeitura nunca é acionada para responder as acusações, indo na contramão do princípio básico do jornalismo que é “ouvir os dois lados”.

Controvérsia
A atitude do “midiático” vereador Rafael Goffi (PSDB), em protocolar uma denúncia ao Ministério Público contra a Prefeitura de Pinda na última semana, provocou controvérsias pelas rodas políticas do Mercadão. Em um vídeo publicado no Facebook, o tucano denunciou que 90% dos prédios públicos não possuem seus projetos aprovados pelo Corpo de Bombeiros. A controvérsia é que parece que o “tiro saiu pela culatra”, já que cientistas políticos questionam o fato de Goffi, que há anos participa da vida política da cidade, deixou para denunciar o fato somente agora, poupando as antigas gestões municipais. Para alguns moradores, o ato do tucano é mais uma manobra para tentar “poluir” a imagem do prefeito Isael Domingues, seu provável futuro concorrente na próxima eleição.

Credenciais
Segundo a leitura dos bem informados de Potim, com a pavimentação em curso e o problema da água resolvido, a prefeita Erica Soler ganha naturalmente forças para enfrentar o representante da família Cascão e o rival Emerson Tanaka – somados a novos ‘picaretas’ que aparecem no dia-a-dia no mercado político se intitulando candidatos a prefeito. Perguntem àquela ‘sombra negra’ que compartilhou o cofre da Prefeitura no período daquele ex-prefeito que virou comissionado…

Movimento volta Pita
Sob aplausos da torcida, o vereador João Pita voltou ao seu posto na Câmara de Guará, após ter passado alguns meses no comando da secretaria de Turismo. Pita, que desde o início da legislatura atende a Câmara como porta-voz do prefeito Marcus Soliva, retornou esta semana ao plenário, em tempo de salvar a lavoura, digo, o projeto que autoriza a Prefeitura a financiar R$ 10 milhões pela Caixa Federal (a juros insignificantes) para pavimentar mais de 130 mil metros quadrados de ruas. Inicialmente, a oposição estava armanda para rejeitar o projeto, mas com o ‘jeitinho Pita de ser e fazer a política de boa ‘vizinhança’, somente o Nei Carteira votou contra.

Castelo de areia
Tem gente apostando em Cachoeira que não deverá sobrar ou permanecer muita gente ao lado do prefeito Edson Mota, com o desmoronar de seu ‘castelo’, bem antes do término do seu mandato. Prova disso foi o recado que os vereadores mandaram na sessão desta semana, ao reprovarem seu projeto que pedia exoneração imediata a todos servidores municipais que pegarem a reta da aposentadoria. A votação terminou com seis a seis, com desempate contrário do presidente Dimas Barbosa. Avaliaram que nem estes seis vereadores mais chegados a subserviência permanecerão ao lado dele quando a batata assar geral. Perguntem ao Breno Anaya!!!

Só gente boa…
Cada Câmara com suas peculiaridades. A de Lorena por exemplo, conta preliminarmente com Dr Tumor e suas metástases: Garganta Profunda, Tanga Frouxa, Babulciante e Fraldão, além do Pé na Cova, o Pombo – que parece um rato com asas. Imaginem se não houver num plenário como estes votos de qualidade para fazer a cidade andar e sobreviver… Com a palavra a Justiça, para ‘extirpar o tumor primário’, e os eleitores de 2020, para neutralizar as metástases através da ‘quimioterapia dos votos’!!!

Rejeição x aprovação
Na experiência de vida, o conhecido ditado: “diga-me com quem tu andas…”; na política eleitoral, a mesma realidade. Atravesse a praça com um rejeitado e chegue do outro lado com a rejeição dele. Talvez seja este o fenômeno que vem ocorrendo com o candidato antecipado de Lorena, que está conseguindo a proeza de sair de 6% de rejeição para quase 40%, faltando ainda 463 dias para eleição. Mas a coisa pode piorar, se a ‘tchurma’ da infecção política do momento continuar calculando e jogando com seu nome. Perguntem ao Cuca!!!

Agenda positiva
Apostando no crescimento de Lorena, o prefeito Fábio Marcondes recebeu dias atrás um grupo de investidores que serão protagonistas de mais um investimento imobiliário nas imediações do Eco Valle Shopping. Enquanto isso, na secretaria de Desenvolvimento Econômico, um outro empreendimento industrial que está para ganhar ‘corpo’ na cidade é tratado na maior discrição, até que os trâmites de licenciamento ambiental sejam concluídos. Perguntem ao secretário Gustavo!!!

Criando ‘penas’
A julgar sobre os rumores nos bastidores do tucanato da Capital, o próximo destino partidário do prefeito Marcus Soliva, é o PSDB de Guará. Ventos do Palácio dos Bandeirantes dão conta que João Agripino, que atende por Doria, não abre mão de garantir alguém de seu partido na futura Prefeitura da Terra de Frei Galvão, que pese o ‘despeito’ de alguns tucanos do pedaço, que já deram o que tinham de dar…

Cortina de fumaça
E a Câmara de Lorena está oferecendo mais um espetáculo ao cenário político da cidade. Segundo os mais informados, trata-se de uma jogada ensaiada entre os integrantes da oposição, ou pelo menos uma parte dela, aterrorizando sobre a redução do número de vereadores para a próxima Legislatura. Disseram que o assunto rendeu além de desentendimento nos corredores da Casa, discursos inflamados em nome da moralidade sob o título “cortando a própria carne”, a exemplo do que fez Bolsonaro, extinguindo milhares de cargos no Governo Federal. A expectativa dos eleitores é que junto com a diminuição das cadeiras, lembrem-se de reduzir também o duodécimo de 6 para 3%…

Lembrete
Já que os notáveis da Câmara de Lorena estão buscando reduzir o número de vereadores, que tal pensarem na redução da quantidade excessiva de assessores, que de tantos, disputam até cadeiras para sentar, porque não há espaço físico nem na sede do Legislativo que acomode a todos, isto é, se revolverem trabalhar ao mesmo tempo???

Em Baixa

Cachoeira Paulista – O prefeito Edson Mota, que amargou duas derrotas esta semana na Câmara. A rejeição  de um projeto de sua autoria que buscava excluir do quadro funcional da Prefeitura os servidores que alcançassem a aposentadoria; e de forma controvertida, a aprovação por unanimidade do projeto da vereadora Dada Diogo que tornou o prédio da Santa Casa – penhorado por dívida trabalhista – patrimônio histórico e cultural da cidade. Ficou clara, na lei proposta pela vereadora, que com inteligência também se administra causas traumátricas, sem a necessidade de se pagar ou barganhar votos e apoio para conquistar o óbvio. Sobre a intenção de preservar a Santa Casa do iminente leilão, o que observam é que a medida do Legislativo apenas enfraquece o interesse imobiliário.

Em Alta

Lorena – O ‘cientista político’ Agostinho Carrera – o Carrerinha, que em 2015 deu o start numa campanha popular com mais de 6 mil assinaturas para redução do número de vereadores, dos atuais 17 para 9 na Câmara Municipal. Passados 4 anos, alguns parlamentares formam coro com o ‘coringa’ – que comanda o Legislativo no paralelo – buscando adequar em 11 o número de cadeiras na próxima legislatura. Carrerinha lembrou do banco da Praça Arnolfo Azevedo, esta semana, que também espera a redução do valor do duodécimo para 3%, o seria o suficiente para bancar a mordomia.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?